dez 07

Ano novo, vida nova: fintech dá dicas de como limpar o “nome sujo” até o final do ano e organizar despesas

Pesquisa aponta que no Brasil, 30% dos endividados sairiam da inadimplência com R$ 500

Quem está com o nome sujo entende muito bem a dor de cabeça que é ter o CPF inserido nos principais cadastros de inadimplência do país. Segundo pesquisa do SPC Brasil realizada no primeiro trimestre deste ano, cerca de 61,7 milhões de pessoas estão com o nome negativado. Com isso, buscar uma solução para “limpar o nome” e começar o próximo ano fora do vermelho virou a prioridade de muitos brasileiros.

30% dos brasileiros sairiam da inadimplência com R$ 500

Um levantamento recente realizado com cerca de 309.800 usuários do aplicativo Guiabolso apontou que 30% dos negativados no Brasil conseguem sair do vermelho e “limpar seu nome” com uma quantia de até R$500. O estudo também mostra que as mulheres estão mais negativadas que os homens: 26% das mulheres estão inadimplentes em relação aos homens, com 22%. Porém, as dívidas realizadas pelos homens são as mais altas.

“Com o final do ano chegando, muitos brasileiros estão se programando para quitar suas dívidas. Uma alternativa é usar o 13º salário, para as pessoas que recebem esse benefício. Já para os trabalhadores informais, uma boa opção é investir em créditos online por meio das fintechs. Atualmente existem empresas que oferecem empréstimos atrativos sem passar por bancos tradicionais”, explica Rogério Cardozo, diretor – executivo da Simplic – primeira fintech a oferecer empréstimo 100% online a pessoas físicas no Brasil.

O especialista listou algumas dicas de como sair da inadimplência e começar 2019 com tudo em dia. Confira abaixo!

Consulte débitos pendentes

O primeiro passo é mapear a situação. Há pouco tempo atrás, era preciso pagar para realizar uma consulta no banco de dados dos órgãos de proteção a crédito. Agora, tanto o SCPC quanto o Serasa disponibilizam a consulta online gratuitamente. Para começar a “ajeitar” as contas é preciso saber o valor certinho e como negociar.

Estabeleça prioridades

Se você tem R$ 1.000 disponível e tem dívidas de R$ 2.000, escolha o que vai dar mais prejuízo se não pagar. Ter em mente as prioridades é fundamental na hora de fazer a gestão dos gastos.

Após estabelecer as prioridades, tenha em mãos as contas para quem está devendo e planeje os pagamentos. Uma sugestão é renegociar a dívida para ganhar mais descontos. Em alguns casos, realizar o pagamento a vista também garante bons descontos.

Opte pelo crédito online

Realizar um empréstimo para quitar todas as dívidas e limpar o nome é uma boa opção. Atualmente existem empresas que facilitam a aprovação do crédito, como o caso da Simplic. A empresa realiza uma avaliação diferenciada para cada pessoa, saindo da análise tradicional, o que permite atender clientes que não conseguem obter crédito em instituições financeiras baseadas em birôs de crédito convencionais, como Serasa e SPC. Além disso, o dinheiro cai na conta em até 24 horas. É possível solicitar valores de R$500 a R$3.500 com pagamento em até 12 vezes.

Zele pelo seu nome

Nunca empreste seu nome para ninguém, nem que seja para amigos ou familiares. Hoje em dia, muitas reclamações de “nome sujo” são motivos de empréstimos do nome para terceiros e a falta de pagamento. Tenha isso em mente na hora de organizar suas despesas para o próximo ano.

Confira se seu nome está limpo – após os pagamentos

Ao pagar uma dívida ou renegociar, tenha sempre um documento que comprove, como um termo de quitação ou um novo contrato de renegociação da dívida. Assim que a dívida é quitada ou for paga a primeira parcela do acordo, os cadastros de inadimplentes têm até 5 dias para tirar o nome do consumidor da “lista negra”.

FONTE: SEGS