jan 29

África: togolês cria primeira impressora 3D a partir de materiais recicláveis do continente

O impacto que a tecnologia de impressão 3D pode ter ainda é tão vasta que há quem pense que a revolução pode ser tão grande para o mundo quanto foi o motor a vapor. Diante disso, porém, é fundamental que trabalhemos para que esse seja um impacto positivo para o mundo e para todo mundo, e não somente para os mais ricos do planeta – e é esse também o trabalho do inventor Afate Gnikou. Natural do Togo, Gnikou criou a primeira impressora 3D feita totalmente a partir de peças jogadas no lixo – a primeira impressora 3D africana feita de material reciclado.

Intitulada W.Afate, a impressora criada por Gnikou foi desenvolvida inteiramente a partir itens recuperados de um lixão de Lomé, capital do Togo. “Esta máquina pode imprimir um monte de coisas como utensílios de cozinha, brinquedos de plástico, ferramentas para artesãos e próteses para hospitais. É a primeira impressora africana obtida a partir da reciclagem e, simultaneamente, uma solução na luta contra a poluição” disse o inventor em entrevista. Gnikou trabalha com o lixo tecnológico que vêm da Europa e dos EUA, e oferece a esses resíduos um sentido revolucionário. “O número de impressoras que podemos fazer com o lixo é ilimitado. Há uma grande quantidade de resíduos de computadores em Lomé que chegam diariamente”, diz.

Gnikou inspirou-se em outro modelo de impressora, e trabalhou com uma empresa incubadora para, através de arrecadação de fundos on-line, financiar a feitura de sua própria impressora com material reciclado. A ideia é poder, por exemplo, equipar os cyber cafés do Togo com impressoras 3D, para que as populações possam imprimir utensílios que precisam e, com isso, libertar um pouco ao menos o continente das grandes corporações, e ainda reutilizando material poluente.

“Todo mundo pode fazer a sua própria impressora. Assim, deixamos de depender das grandes indústrias, mudamos o método de fabricação e buscamos um impacto positivo em nosso desenvolvimento”, disse.

FONTE: HYPENESS