maio 26

Adoção da inteligência artificial por empresas brasileiras cresce diante da pandemia do coronavírus

A inteligência artificial (IA) tem caído no gosto das empresas brasileiras. De acordo com a pesquisa Global AI Adoption Index 2021, 40% dos profissionais de TI do Brasil entrevistados afirmaram usar a tecnologia em suas operações. O dado coloca o Brasil como referência na adoção de IA no continente sul-americano, já que, na América Latina como um todo, o número ficou em 21%.

 Parte desse avanço robusto pode ser explicado pela pandemia do coronavírus. As empresas tiveram que reforçar seus canais online de atendimento para acelerar o processo de transformação digital, ampliando a experiência dos clientes e garantindo a continuidade dos negócios à distância. E isso, naturalmente, provocou maior demanda pela inteligência artificial.

Resultado disso foi um grande movimento de automação nas operações das empresas das mais diversas áreas. As companhias se beneficiaram da IA para intensificarem o foco no atendimento ao cliente, principalmente com o desenvolvimento de chatbots e a criação de assistentes virtuais.

Inclusive, o desenvolvimento da tecnologia no Brasil teve um grande papel da IBM. Isso porque a a adoção de IA para assistentes virtuais baseadas no IBM Watson Assistant dobrou no Brasil entre janeiro e dezembro de 2020. Cases não faltam.

Além das conhecidas BIA (do Bradesco) e Magalu (da Magazine Luiza), Babi (do Banco Inter) e a assistente virtual da TIM são bons exemplos de como a inteligência artificial do Watson foi importante para facilitar a experiência do cliente e as operações das empresas.

Além do setor de cibersegurança, inteligência artificial tem sido implementada em assistentes virtuais, especialmente na área de e-commerce. Foto: Peach ShutterStock/Shutterstock

“Os negócios e as relações de trabalho mudaram. De repente, tudo precisou se adaptar ao online e toda essa migração do real para o virtual irá precisar cada vez mais do apoio da IA e do amadurecimento de tecnologias que já estavam em expansão, como análise de dados e automação”, afirma Marcela Vairo, diretora de Data, AI Apps e Automação da IBM Brasil.

Avanços devem continuar

Mas se a inteligência artificial já tem demonstrado ótimos progressos, a situação poderá ficar ainda melhor. Isso porque uma pesquisa recém-divulgada pela IDC revelou que as empresas baseadas em IA terão um aumento de 100% na produtividade e no conhecimento de sua força de trabalho até 2025.

Além disso, é importante lembrar que a tecnologia está apenas em seus estágios iniciais. Em um encontro virtual com alguns jornalistas ocorrido nesta quarta-feira (26), Claudio Pinhanez, gerente de Pesquisa em Inteligência Conversacional da IBM Research Brasil, destacou que diversos avanços ainda são necessários para o desenvolvimento da IA.

“Estamos no início. Trabalhamos com máquinas extremamente ineficientes na questão de energia, existem pequenos problemas de identificabilidade e impasses com teorias da consciência nos sistemas”, destacou o executivo.

No entanto, Pinhanez destaca o grande progresso feito pela inteligência artificial nos últimos cinco anos. “Em 2015, não diria que estaríamos agora no ponto em que estamos. Teria estimado o atual cenário para 2030”, completou.

Vale lembrar que no começo do ano, a IDC estimou que os investimentos em IA no Brasil neste ano podem chegar a R$ 2,4 bilhões. Quem não acompanhar esta tendência, poderá ficar para trás.

FONTE: https://olhardigital.com.br/2021/05/26/pro/adocao-da-inteligencia-artificial-por-empresas-do-brasil-sobe/